Explore
 Lists  Reviews  Images  Update feed
Categories
MoviesTV ShowsMusicBooksGamesDVDs/Blu-RayPeopleArt & DesignPlacesWeb TV & PodcastsToys & CollectiblesComic Book SeriesBeautyAnimals   View more categories »
77 Views No comments
0
vote

Review of The Little Tailleur

Add header image

Choose file... or enter url:
O que esperar do encontro de um alfaiate com uma jovem atriz? O média metragem Aprendiz de Alfaiate traduz esse encontro através da fusão da expressão artística de ambos. Um, portador de uma tristeza indefinível e utilizando a arte cênica como refúgio. O outro, buscando confiança na carreira e tornar-se um profissional da alta costura. O possível relacionamento é deslindado para resultar em uma pequena história de amor tipicamente francesa. É o segundo trabalho de Louis Garrel como diretor, que já havia dirigido o curta Mes Copains em 2008.

A ‘escola’ de Arthur (Arthur Igual), o aprendiz de alfaiate, é o ateliê de Albert, vivido por Albert Igual. Por estimar muito seu aluno, ele o escolhe como sucessor ao se aposentar. Quando esse momento se aproxima, em uma ida ao teatro, o amigo Sylvain, papel de Sylvain Creuzevault, o apresenta à atriz Marie-Julie, interpretada por Léa Seydoux, de A Bela Junie. Embora resista a princípio, acaba cedendo e envolve-se com ela.

Em uma das cenas mais bonitas da produção, Arthur tira as medidas de Marie-Julie enquanto ela dorme – tendo em mente a confecção de um vestido para presenteá-la. O momento marca o conflito da personagem – uma realidade não muito distante do que algumas vezes presenciamos. Valeria a pena abrir mão da formação profissional almejada para viver um romance instável? Afinal, ela vive do teatro, assumindo o compromisso de viajar com a peça. E ele, ao mesmo tempo em que batalha para tornar-se exímio alfaiate, não pode decepcionar Albert, que o vê como um filho.

O diretor elege boas referências – da trilha sonora, com direito a música dos Smiths, até trechos da obra de Tchekhov – citados pelas personagens. Outra boa escolha foi a opção pela filmagem em preto e branco, que atribui um tom clássico e romântico à obra. As tomadas, bem selecionadas, concentram a atenção do espectador nos movimentos e sensações de cada figura em cena.

Embora seja a segunda experiência cinematográfica de Garrel como diretor, o resultado é impecável. Ele consegue sintetizar, em poucos minutos, sentimentos que para muitos parecem inexprimíveis.
Avatar
Added by lidyaquino
6 years ago on 15 November 2010 12:47



Post comment


Insert image

drop image here
(or click)
or enter URL:
 link image?  square?

Insert video

Format block